domingo, 7 de setembro de 2008

Arremesso de Facas

Ela:

Vai, me acerta!

Mire direito esta faca e faça o espetáculo ficar mais divertido.

Cansei de ficar presa por cordas nesta roda, enquanto você se diverte com o seu jogo e leva todo o dinheiro da bilheteria.

Não vê que esse seu número já me esgotou?

Pára!

Feche os seus olhos e acerte o meu coração.

Concentre-se.

Vai.

Mate-me.

Agora!

Ele:

Posar de vítima sempre foi o seu papel preferido!

Saiba que ninguém te amarrou à força nessa roda. Muito menos te obrigou a vestir essa roupa cheia de lantejoulas.

Está aí porque quis!

Acha que é fácil assim?

Nem sempre se sai de um jogo quando quer!

O espetáculo também é seu.

Carrasco é sempre o outro pra você.

A arquibancada há tempos está vazia.

Cansei também!

Respiro.

Miro.

Talvez agora eu erre para acertar.

6 comentários:

Grazzi em ContRo disse...

"Errou" em cheio! Ui!hihihi

Vem cá..

Izabel Xarru disse...

fica passando na minha cabeça que a saída da roda fica onde a gente diz: ISSO não. mas a porta de saída e a de entrada ficam no mesmo lugar.
então...
o movimento estranho aos ossos fertiliza o novo. a porta, não sei.

Dani disse...

Sem culpados...
é a melhor saída.
Gostei, obrigada pelo convite.
bjo
Dani

digofab disse...

Amola amola amola antes.

Paradoxo Sem Fim disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Faca não, é muita vilolência...